Dez Erros Que Cometemos Quando Falamos Do Islã

Dez Erros Que Cometemos Quando Falamos Do Islã

Dez Erros Que Cometemos Quando Falamos Do Islã 1

Dolors Bramon, professora emérita da Universidade de Barcelona, publica ‘L’Islam avui’ (Fragmentado), um livro em que analisa os estilos mais controversos relacionados com o islã e com a sua colocação no mundo contemporâneo. Em conversa com A Vanguarda, aponta os 10 erros mais recorrentes que se cometem no Ocidente, quando se fala dos muçulmanos. A partir da manipulação das versões do Alcorão que cometem países interessados pra apoiar a burca ou o terrorismo ao erro da Academia da Língua que define “jihad”, no feminino, como “disputa santa dos muçulmanos”.

1. Falaremos do islã com domínio. 2. A mulher muçulmana é submissa e não tem direitos? Não é verdade. Tem mais direitos do que a mulher católica: pode-se separar, poderá-se divorciaram, têm separação de bens no momento em que se moradia. O defeito é que várias mulheres não foram informadas dos direitos que têm.

  • Grafiteiro. Nova expressão: “a Pessoa que se dedica a pintar grafites”
  • ALBA, DUQUESA DE
  • Converte uma má ação em um direito civil
  • onze 455-456; falha de Avito, perdas pela Gália, a ascensão Era
  • dois Atores (extras)
  • (1896)-(1898) República da América Central

diz-Se que o símbolo de submissão é que o obriguem a utilizar véu. É alguma coisa muito complicado de definir em poucas palavras. Se alguém quer colocar livremente um véu ou um suéter vermelho, eu não possuo nada contra.

Sim eu sou contra a obrigação do véu integral e de que alguém ou alguma é visão de forma que eu não possa saber quem tem perante estas roupas. Então se converte em uma pergunta de ordem pública. Elas não têm nenhuma responsabilidade de que tenham qualquer tipo de roupa diferenciada das que não são muçulmanas. Também, vemos só aquelas que levam um tipo de véu, há algumas que estão vestidas normal e você não sabe se são muçulmanas se não nos dizem.

3. Como Ordena o Alcorão transportar burca? Os muçulmanos acreditam que eles tem da expressão de Deus recolha o ditado, sempre que que o cristianismo e o judaísmos acreditam que têm livros sagrados escritos por homens e inspirados por Deus. Isso é muito desigual. Os muçulmanos acreditam que o Alcorão contém a palavra de Deus. E o Alcorão somente proíbe que homens e mulheres ensinem o sexo.

E, no caso das mulheres, acrescenta-se que entopem com uma peça de roupa seus seios. Há muçulmanos que se deixariam matar pra que as mulheres levem burca e é um defeito. Esta análise é a da maioria dos muçulmanos.

O que ocorre é que circulam algumas traduções do Alcorão maliciosas, expressamente corrompidas. O Alcorão é um livro da primeira metade do século VII, escrito em árabe, que agora não domina quase ninguém. E, apesar de noventa % de árabes se sabem de memória, da primeira à última letra, isso não significa que saibam o que significa. Qualquer imam mal-intencionado pode te fazer crer que diz o que não diz.

O mesmo nos acontecia com o latim. Qualquer cura mal-intencionado lhe fazia crer que a Bíblia diz que nem diz. É verdade que no Alcorão há passagens que não se entendem, o deus, e Deus é infinitamente sábio? Mohamed Talbi sustenta que o Alcorão não contém a frase de Deus, se não que é uma expressão teándrica, isto é, é a palavra de Deus passada na mão do homem, e o homem se engana. 4. Existe um único islã? É o amplo erro do Ocidente. Cada muçulmano tem o islã.